Hipocrisia

   Bernie Ecclestone, o dono da formula 1, disse que aprova a mudança na regra que proibe o tal “jogo de equipe”, bem neste domingo todos ficaram indignados com Felipe Massa por trocar de posição com Alonso, mas o consideram herói por ter feito o mesmo em 2007, quando trocou de posição com Kimmi Raikkonen para tirar o titulo da McLaren.
   Os fãs de Fórmula 1, acreditam na falsa idéia passada de que em algumas equipes como McLaren e Red Bull a disputa entre os pilotos é aberta, não é, sempre, em algum momento da corrida o chefe de equipe vai esclher por um piloto, é ele quem decide qual de seus pilotos vai terminar na frente, e isto pode ser determinada de varias maneiras, em um pit stop adiantado ou atrasado em favor de um piloto, em um pequeno erro da equipe durante a parada, ou até em um erro de cálculo de combustível (lembram dessa?). McLaren, onde a disputa parece aberta, não se enganem, Button nunca será campeão lá se Hamilton estiver na disputa, na Red Bull, deixam bem claro que o preferido da equipe é o Vettel, mas Mark Webber deixa bem claro na pista que está melhor que ele, claro que não vão interferir na disputa dos dois do mesmo modo que a Ferrari faz com seus pilotos, uma vez que, favorecendo Vettel, que tem o talento de um grande campeão para guiar o carro, mas tem o grave defeito de não render se dobrar a primeira curva em segundo, pode estar jogando o titulo pela janela.
   Formula 1 não é esporte, muitos interesses entram na pista, patrocinadores que investem milhões nas equipes, equipes que gastam milhões desenvolvendo projetos, é muita inocência achar que a disputa será aberta entre dois pilotos da mesma equipe, Ecclestone está certo, a Formula 1 não voltará a ser como era nos bons tempos de Nelson Piquet, Alain Prost e Ayrton Senna (que também teve lá seu fiel escudeiro Gerard Berger), essa Formula 1 morreu, naquele primeiro de maio de 1994, ali na Tamburello, feliz quem a conheceu, portanto já passou da hora de acabar com essa hipocrisia de não “deve haver ‘jogo de equipe'” e fazer as coisas as claras, o que há muitos anos não se faz nessa categoria.
   Campeonato de pilotos é só uma formalidade, um modo de fazer marketing, tentar manter viva a memória dos bons tempos da categoria, o que existe hoje é um campeonato de equipes, as quais escolhem quem serão os idolos de vocês.
   Não culpem o Massa, nem o Alonso, nem o Domenicalli, é só um bom negócio, os fãs que precisam abrir os olhos e enxergar isto.

Anúncios

Indy 2012

   Hoje em Indianápolis foi anunciado o novo fornecedor de chassis da categoria, novo modo de dizer, o fornecedor continua sendo a Dallara, mas a categoria apresentou novas medidas para baixar custos e atrair investimentos, pilotos e equipes.
   A Dallara fabricará o chassis, a carenagem terá o fabricante licensiado de escolha da equipe. Cada equipe terá direito a dois kits aerodinamicos por temporada, um para ovais e outro para mistos, os fornecedores terão de disponibilizar seu kits para todas as equipes, caso uma equipe use o kit de um fabricante e depois decide usar o de outro.
   Segundo a Indy o custo do novo carro é 45% menor que dos atuais. O carro completo custará US$ 349,000.
   O novo carro terá uma proteção nas rodas traseiras para evitar o famoso toque de roda com roda, que causa graves acidentes. Outra velha novidade, são os motores turbo, que terão seis cilindros e 2.4 cilindradas com potencia entre 550 e 700 cavalos, com os 100 hps a mais que o piloto pode acionar duante a prova, a categoria que hoje conta com apenas um fornecedor de motores não deixou claro se continuará tendo um só fornecedor de motor ou se outros virão. Espero que venham.
   A Dallara está intalando uma fabrica em Indianápolis, que era uma dos requisitos para fornecer os novos carros.
Com essas medidas a Indy dá um importante passo, pena que 2012 está tão longe né?! Espero que os patrocinadores reaparecam, a competitividade também, e claro alguns bons pilotos, jovens, porque os grandes pilotos da categoria já passaram dos 30 ou estão quase lá.

                                            

Dois anos de unificação

   Em 2008 quando foi anunciado a fusão da IndyCar com a já morta ChampCar, todos diziam que seria uma coisa boa, que teria mais e melhores equipes, mais patrocinadores, então veio a crise economica, foi-se Tony George, odiado por muitos, amado por… quase ninguém, e com ele e a crise econômica parece ter ido os patrocinadores.
   A categoria parece estar retomando os rumos de antes da separação das categorias, muitos circuitos mistos e de rua, provas fora dos Estados Unidos, para nós brasileiros é ótimo poder ir assistir nossos melhores pilotos de perto nas ruas de São Paulo, será que isso é realmente bom pra categoria? encarecer um campeonato que nos ultimos anos vem perdendo pilotos, patrocinadores, equipes e competitivide? Não acho que seja este o caminho, a crise está controlada, as grandes corporações voltam a se levantar, mas ainda assim, os patrocinadores estão escassos, apesar da Izod ter passado a patrocinar o titulo, Menard’s e McDonalds deixaram suas equipes, a Vision que era patrocinada pela Menard’s não conseguiu alinhar em 2010, correu as 500 milhas em associação com a Panther, a Newman-Haas Laningan, que após a morte de Paul Newman parece ter começado a descer uma ladeira, perdeu seu principal patrocinador, a McDonald’s, não conseguiu alinhar dois carros no grid como sempre fez, teve que contratar Hiddeki Mutoh, pois ele tem o patrocinio e deixar o jovem promissor Graham Rahal de fora, pra mim isso é o maior sinal de que a unificação até aqui, não está tendo os resultados esperados.
   Bem, a partir de 2012, a Indy passará a utilizar novos chassis, isso pode vir acompanhado tambem de algumas alterações no regulamento, o jeito é esperar, uma coisa que já podemos comemorar é a “ressurreição” da equipe de Michael Andretti, que venceu duas este ano, depois de ter passado 2009 em branco. O dominio da categoria continua com com Penske e Chip Ganassi, Andretti dá sinais de que está voltando ao seu lugar, K.V. Racing fez duas contatações equivocadas pra essa temporada, e não está se encontrando no campeonato, a equipe que correu 2009 com apenas um carro, pilotado por Mario Moraes, esse ano corre com três carros, Takuma Sato, é um bom piloto, é bastante rapido nos mistos, as vezes até demais, Ernesto Viso, até hoje não mostrou a que veio, quando não se envolve em acidentes anda sempre em posições intermediarias e e não mostra muita capicidade de ir além, Mario Moraes, foi anunciado faltando apenas alguns dia para o inicio da temporada, a equipe está penando pra dar conta de três carros, Jimmi Vasser deveria ter prestado mais atenção na equipe que defendeu no final dos anos 90, a Chip Ganassi. Newman-Haas não dá nenhum sinal de que vai voltar a ter os resultados e pilotos do nivel de Michael Andretti, Mario Andretti, Nigel Mansell e por ai vai, Hiddeki Mutoh tem se mostrado mais capaz do que nos tempos de Andretti-Green, hoje só Andretti, as equipes pequenas dão sinal de que, com mais apoio pode crescer e brigar por vitorias, e quem sabe até titulos, na Indy a equipe pode crescer, ao contrario do que nós brasileiros nos acostumamos a ver por ai, equipes que já nascem falídas.
   Dois anos de unificação, a expectativa de mais e melhores equipes, ainda continua, a expectativa de mais patrocinadores também, a temporada 2010 está sendo boa, apesar da briga pelo titulo continuar centralizada em apenas duas equipes, espero que pra 2011 os patrocinadores olhem mais pra Indy, o que cá entre nós, vai ser dificil se a categoria retomar a velha ideia de dominar o mundo.