O carro

   Hoje resolvi falar um pouco de um dos meus carros preferidos, o Dodge Challenger R/T.
   Vi o carro pela primeira vez no filme Corrida contra o destino (Vanishing point) de 1997, o filme de 97 é uma refilmagem, ou uma nova versão do filme original de 1971. Anos depois, a extinta e saudosa banda Audioslave, utilizou o carro na gravação do videoclipe da musica “Show me how to live“, o videoclipe foi todo baseado no filme Vanishing Point de 1971.
   O Dodge Challenger, começou a ser fabricado a partir de 1970. Era um carro montado sobre a plataforma do Barracuda, esse tipo de coisa é muito comum na industria automobilistica até os dias de hoje. A versão R/T (Road/Track) tinha algumas opções entre os V8, desde a versão “light”, de 335 hp, até o “estupido” 426 Hemi, de 425Hp. Tinha também, a versão T/A (Trans Am) que era vendida quase como o Dodge que competia na Trans Am.
   A partir de 1971, houveram mudanças, por varios motivos, ecologicos, econonicos e etc, que acabaram deixando o Challenger menos potente, como por exemplo, o fim da versão R/T e também da versão conversivel em 1972, uma versão rally tomou lugar dos R/Ts. Em 1974 a Dodge deixou de fabricar o Challenger.
   Para a alegria dos fãs do modelo, em 2006 a Dodge apresentou um modelo conceito no salão de Detroit, e anunciou que o modelo voltaria pras ruas, sim, o Challenger voltou às ruas, e pras pistas de corrida da Nascar Nationwide Series.
 

Anúncios

Batistando

   Hoje é domingo, sol e praia, céu de anil… Não, não teve praia no meu domingo, mas sol, teve, um sol de uns 200°, caminhando pelo calçadão da Batista, tropeçando em gente lerda que vai às compras sem saber o que comprar. Tudo bem, quando desci do onibus tambem não fazia ideia do que iria comprar, entrei numa loja, vi o preço de um Joystick pra corridas, agradeci o vendedor, e saí correndo. Bem, tinha que comprar o presente do amigo secreto, acho uma liquidação de sapatos, qualquer par da banca por $19,90, minha mãe achou um bonitinho, que eu achei que tinha bico de sapato de palhaço, mas segundo ela, pelo menos num tinha aquele bico horrivel de matar barata no canto, depois de achar um pé, tinha que procurar o outro, mas será deixariam eu levar um pé de cada um? bem como é amigo secreto e não amigo ridículo, segui “batistando” calçadão acima, onde posso encontrar uma presente, fiz a besteira de entrar na Lojas Americanas, não sei, mas acho que é impossivel entrar lá e não comprar, logo de cara, livros, e olhamos, um, outro, seguimos, celular da minha mãe toca, parece brincadeira, era minha irmã pedindo pra ela comprar chocolate, ok, tres barras de chocolate, que derreteram no caminho. Sessão de enfeites natalinos, nada de bolinhas azuis que Dona Mirian estava procurando. Sessão de brinquedos, dinossauros, brinquedos educativos, ai, no meio do corredor uma banca cheia de Hot Wheels, ai fodeu, empacamos ali, garimpando carrinhos, não iria comprar nenhum, mas ai, achei o lendario Tyrrel P34, depois o também lendario Plymouth Superbird, não era azul calcinha, nem tinha o famoso numero 43 do rei na lateral, mas mesmo assim adorei, agora chega, duas miniaturas já está bom, mas ai sempre que remexo o amontoado de carros, de varias marcas, modelos, anos, gosotos, acabo encontrando o simpatico Datsun Bluebird 510, confesso que não conhecia esse modelo, mas gostei bastante de ser apresentado, encontro outra lenda, mas dessa vez não é uma lenda das pistas, e sim do cinema, não é um carro, e sim uma maquina do tempo, DeLorean DMC12, os otimos Christoper Lloyd e Michael J. Fox que me desculpem, Spielberg também, mas pra mim a maior estrela do filme foi o DeLorean, otimo, não queria levar nenhum, já estou levando três, me lembro do carrinho simpatico, minha mãe “ok, te dou de presente”, otimo, voltemos às compras de natal, ainda preciso achar o presente do amigo secreto, e vamos sair daqui antes que leve mais alguns, no caixa, fila enorme, como já era esperado, cds, miniaturas, chocolates, e presentes pagos, vamos continuar a procurar, entro numa loja, não acho o presente do amigo secreto, mas acho algo que outra pessoa irá gostar, otimo, mais um presente comprado, mais um pouco acima, outra loja, e nada de interessante, continuamos a subir, mais uma loja, agora sim, presente encontrado, e a duvida “qual levar?”, otimo, um pro amigo secreto, outro pra outra pessoa, hora de passar no caixa, queda de energia, quando a energia volta, sistema fora do ar, fila parada, nova queda de energia, “caramba, de novo?” dessa vez volta mais rapido, o que demora a voltar são os computadores do caixa, otimo, o sistema volta a funcionar, compras pagas, vamos Batista abaixo agora, olho as horas, 16:15, o onibus saiu as 16:00, se não tivesse ficado tanto tempo vendo carrinhos… O proximo só às 17:30, horario de onibus de domingo é foda, mas nada de que reclamar, o domingo foi otimo, pra esperar no calor de 500° que faz o verão Bauruense, nada melhor que sorvete.

É campeão!!!

Sem comentarios.