As relargadas.

   O novo sistema de relargadas da Indy não foi bem no primeiro teste em St. Petersburg, as relargadas em fila dupla acabaram por provocar novas bandeiras amarelas, mas no decorrer da prova, os pilotos foram sendo mais cautelosos nas relargadas.
  A próxima etapa no Alabama, não deve ter tantos acidentes como na estréia. A ansiedade da estreia já deve ter passado, e com certeza vão estar mais atentos durante as relargadas para não provocar ou se envolver em confusão, a direção da Indy também deverá pedir maior atenção aos pilotos.
  O sistema a principio iria valer apenas nos ovais, mas como o primeiro oval da temporada é exatamente Indianápolis, a Indy decidiu que seria melhor não implantar o novo modelo exatamente na mais importante corrida do mundo, o que concordo, 500 milhas de Indianápolis sobrevive há um século por sua tradição, experimentos não são uma boa ideia.
  A Nascar, que já adota a relargada em fila dupla, tem a vantagem de seus carros não serem frágeis a toques e empurrões, alias é assim que se corre por lá, além de que, são poucos os circuitos mistos ao longo do ano. Na Indy, metade das provas são disputadas e circuitos misto e de rua, os carros são frágeis, um toque e lá se vai um bico, um aerofólio, um pneu, mesmo com a cautela que deverá ser adotada pelos pilotos, os acidentes irão acontecer, em menor numero, mas estarão lá, agora é esperar, as corridas irão mostrar se foi uma boa ideia ou não.

Anúncios

É assim que se faz.

   Kevin Harvick não afinou, abriu espaço pra cima do penta campeão e venceu em Fontana.

E a Indy começou.

   Dário venceu fácil, mas os dois grandes nomes da corrida foram sem dúvida alguma, Tony Kanaan e Simona Di Silvestro, largarm atrás, e logo na largada apareceram lá frente, se saindo bem nas relargadas, Tony que depois de assumir a segunda posição e não conseguir atacar Franchitti, perdeu a posição para Will Power nos pits, e começou ai um belo duelo com o piloto da Penske, já mais perto do final da prova, com pneus duros, sofreu pressão da Simona Di Silvestro, mas segurou a posição.
   Um acidente logo no início, tirou da briga alguns favoritos, como Castroneves, Briscoe e Dixon. Danica teve que trocar o bico do carro duas vezes, na segunda vez, teve de colocar o bico do Carro de Mike Conway que havia abandonado a prova, Bia andou muito bem, se desviando das batidas, que iam acontecendo nas relargadas, ficando na 14ª posição. Raphael Matos, que estava a pé até outro dia, estreiou muito bem também com a AFS, a equipe que o levou ao titulo da Indy Lights em 2008, ficando na setima colocação, logo atrás dele veio o aniversariante do dia, Vitor Meira, da A.J. Foyt. Outro destaque foi Takuma Sato, que em 2010 destruiu muitos carros da KV Racing, hoje foi bastante eficiente e ficou com a quinta colocação.
   Uma pena foi o Sebastien Bourdais ter batido no warm-up e a equipe não ter conseguido recuperar o carro pra corrida, mas faz parte, acho que ele está ciente de terá um ano bem dificil na Dale Coyne.
   Está aberta a temporada 2011, a última temporada dos tão familiares Dallara’s, que se aposentam no fim do ano para dar lugar a uma nova Indy, e começa como terminou 2010, com Franchitti na frente.

Já sabia.

  
   Tião venceu com um pé nas costas e pilotando apenas com a mão esquerda. Hamilton ficou em segundo, mesmo com problemas no assoalho, Petrov foi o destaque do fim de semana, e Alonso começou 2011 da mesma forma que terminou 2010, atrás de Petrov, O Massa foi… bem o Massa foi o Massa.

sabado é dia de que?

   Sim, de Kyle Busch visitar o Victory Lane, dessa vez no California Speedway em Fontana. Na ultima parada Busch foi mais esperto, arriscou trocou apenas dois pneus, saiu na frente e venceu a prova, com Carl Edwards chegando logo atrás. Adoraria falar menos desse cara.

Esse faz jus ao nome que tem.

   Will Power Fez o melhor tempo, mas isso todos já esperavam, apesar de todo o dominio de Power nesse inicio de temporada, é bom estar bem preparado, Dário Franchitti larga na primeira fila ao seu lado, seguido de Scott Dixon, não vão deixar o australiano respirar, sabem que não dá pra contar apenas com erros de Power e da Penske (no caso da equipe são rarissimos) nos ovais, o mesmo vale para os outros pilotos, é fundamental partir pra cima de Power e Franchitti agora e não deixa-los abrir vantagem.

O Grid:

1. Will Power (AUS/Penske), 1min01s962
2. Dario Franchitti (ESC/Ganassi), a 0s332
3. Scott Dixon (NZL/Ganassi), a 0s435
4. Mike Conway (ING/Andretti Autosport), a 0s568
5. Ryan Briscoe (AUS/Penske), a 0s611
6. Justin Wilson (ING/Dreyer & Reinbold), a 0s810
7. Marco Andretti, (EUA/Andretti Autosport), 0s651
8. Tony Kanaan (BRA/KV Racing), 0s819
9. Helio Castroneves (BRA/Penske), 0s858
10. Alex Tagliani (CAN/Sam Schmidt), 0s860
11. Takuma Sato (JAP/KV Racing), 0s969
12. Graham Rahal (EUA/Ganassi), 1s102
13. Vitor Meira (BRA/Foyt), 1s169
14. Ryan Hunter-Reay (EUA/Andretti Autosport), 1s215
15. Oriol Servia (ESP/Newman-Haas), 1s281
16. Raphael Matos (BRA/AFS), 1s297
17. Simona de Silvestro (SUI/HVM), 1s310
18. Sebastien Bourdais (FRA/Dale Coyne), 1s356
19. Danica Patrick (EUA/Andretti Autosport), 1s414
20. Bia Figueiredo (BRA/Dreyer & Reinbold), 1s841
21. EJ Viso (VEN/KV Racing), 1s444
22. James Jakes (ING/Dale Coyne), 1s923
23. Charlie Kimball (EUA/Ganassi), 1s554
24. Sebastian Saavedra (COL/Conquest), 2s007
25. JR Hildebrand (EUA/Panther), 1s863

É diferença pra mais de metro.

   O Sebastian Vettel não deu a menor chance para a concorrencia no Albert Park e vai largar na frente, sua volta foi quase 1 segundo mais rápida que a de Lewis Hamilton, 1min23s529 do alemão contra 1min24s307 do inglês.
  Se o Tião não cometer nenhuma barbeiragem vence fácil, e é bom o Alonso não bobear na largada porque ao lado larga Vitaly Petrov, se o piloto da Renault ultrapassa ele na largada ele fica a corrida inteira atrás, de novo.

  O Grid:

1. Sebastian Vettel – Red Bull, 1:23.529
2. Lewis Hamilton – McLaren, 1:24.307
3. Mark Webber – Red Bull, 1:24.395
4. Jenson Button – McLaren, 1:24.779
5. Fernando Alonso – Ferrari, 1:24.974
6. Vitaly Petrov – Lotus/Renault, 1:25.247
7. Nico Rosberg – Mercedes GP, 1:25.421
8. Felipe Massa – Ferrari, 1:25.599
9. Kamui Kobayashi – Sauber, 1:25.626
10. Sebastien Buemi – Toro Rosso, 1:27.066
11. Michael Schumacher – Mercedes GP, 1:25.971
12. Jaime Alguersuari – Toro Rosso, 1:26.103
13. Sergio Perez – Sauber, 1:26.108
14. Paul di Resta – Force India, 1:26.739
15. Pastor Maldonado – Williams, 1:26.768
16. Adrian Sutil – Force India, 1:31.407
17. Rubens Barrichello – Williams, sem tempo
18. Nick Heidfeld – Lotus/Renault, 1:27.239
19. Heikki Kövalainen – Lotus, 1:29.254
20. Jarno Trulli – Lotus, 1:29.342
21. Timo Glock – Virgin, 1:29.858
22. Jerome d’Ambrosio – Virgin, 1:30.822

Fora do limite de 107%:

23. Vitantonio Liuzzi – Hispania, 1:32.978
24. Narain Karthikeyan – Hispania, 1:34.293